HOME Serviços LOJA ENCOP ORÇAMENTO Empresa
HOME
Serviços
LOJA ENCOP
ORÇAMENTO
Empresa
Pragas
ARANHAS
BARATAS
CUPINS
ESCORPIÕES
FORMIGAS
MORCEGOS
MOSCAS
PULGAS
TRAÇAS
RATOS
PRAGAS DE JARDIM
Tire sua Dúvida
Equipamentos
Inseticidas
Métodos
Contato
Como eliminar pulga em cachorros e gatos, a importância das medidas de controle mecânico e químico envolvendo utilização de venenos

             As pulgas são insetos que se desenvolvem por metamorfose completa. do ovo nasce a larva I, que se transforma em larva II, depois em larva III e desta em casulo ( pupa ). A fêmea precisa ingerir sangue para conseguir as proteínas necessárias para o amadurecimento dos ovos, Depois começa a por os ovos sobre o animal em que está. Com o movimento os ovos caem por todos os ambientes do local em que o animal habita. Os ovos da pulga vão incubar e dentro de poucos dias rompem-se, liberando a larva da pulga. Após uma ou duas semanas , as larvas procuram um lugar onde haja cisco ou poeira para tecer um casulo em torno de si, formando a pupa. O casulo só vai se abrir quando ocorrerem certas condições favoráveis  aussência de  elementos  agressivos  e acontecerem determinados estímulos como vibrações do ar ou do solo. Uma vez que a pulga tenha encontrado seu hospedeiro ( cão ou gato ), ela procura permanecer o maior tempo possível neste animal. 
          Assim que sai do ovo, a larva da pulga deve encontrar alimento para poder desenvolver-se. Este alimento  normalmente é composto de fezes de pulgas adultas, que contem sangue semidigerido. Dentro do casulo a pupa pode viver quase um ano, protegida pela casca; mas uma vez fora do casulo, ela precisa encontrar um hospedeiro imediatamente para poder se alimentar. Estudos demonstram que, para cada 5 pulgas no animal, existem 95 formas jovens desenvolvendo-se no ambiente.

               

 

       Importância para a saúde de cães, gatos e humanos


       
  
Podem transmitir a peste bubônica e provocar reações alérgicas, além de transmitir algumas doenças aos animais de estimação. A pulga causa um prurido intenso devido as suas picadas. Existem animais que desenvolvem uma dermatite pruriginosa e pápulo-crostosa na região lombossacra, dorsal, coxal, caudo medial, abdomem ventral, flanco e pescoço com áreas de rarefação pilosa. Ainda se encontra nos pêlos, fezes das pulgas (pontos pretos que quando apertados observa-se uma coloração avermelhada).

           Quando ingeridas pelos cães e gatos no ato de se lamberem ou se mordiscarem, ou pelo homem acidentalmente, levam, para o intestino, a forma infectante do Dipylidium caninum, verme cestóide, semelhante à Tenia, "solitária" do homem. Constitui-se, portanto, numa zoonose e pode, nos animais, levar a emagrecimento, diarréia, perda de pêlos e até à morte se não tratada. O animal apresenta coceira na região anal, arrastando a região no chão, e ,às vezes, podem ser vistas as proglotes do verme, pequenos reservatórios de ovos, em volta do ânus ou nas fezes, semelhantes a grãos de arroz.

           Os gatos, por sua vez, são vítimas de um parasita sanguíneo, chamado Hemobartonella felis, transmitido naturalmente pela picada da pulga, causando a doença denominada de Hemobartolenose. Os sintomas são perda de peso, fraqueza, depressão e falta de apetite, devido a uma anemia que pode se tornar crônica. Se não tratados, mais de 30% dos gatos podem vir a óbito.

           Como se não bastassem as doenças acima citadas, o incômodo da presença das pulgas sobre a pele do animal pode ser agravado se este desenvolver alergia às picadas deste inseto. Tanto o cão quanto o gato são passíveis de manifestarem uma hipersensibilidade em que basta uma picada por semana para induzir a uma coceira insuportável, induzindo o animal a se ferir, muitas vezes gravemente, o que exige um tratamento urgente. Quando não tratada no início, a alergia torna-se crônica, levando a alterações irreversíveis da pele e da pelagem, além de poder alterar o estado emocional do animal, que permanece em constante estado de estresse devido à coceira incessante. O cão ou o gato, em alguns casos, passa a comer menos e torna-se deprimido ou agressivo, dependendo de sua personalidade. É também, muitas vezes, isolado do convívio familiar por causa das condições de sua pele, que pode apresentar descamação e infecções produtoras de odores desagradáveis.
           
Portanto uma única pulga em você ou no seu animal pode transmitir varias doenças ou provocar alergias. Não é preciso uma grande quantidade de pulgas para provocar tudo isso. Sua importância pode ser destacada em dois níveis. Como parasitas propriamente dito e como vetores biológicos. Como parasitas, destacamos as irritações cutâneas e lesões, propiciando a instalação de fungos e bactérias. Como vetores biológicos, destacamos a peste bubônica e o tifo murino, transmitidos através da picada da pulga dos roedores.

 

            Prevenção

  • Coloque sempre uma toalha limpa onde seu animal dorme e lave-a uma vez por semana.
  • Deve-se manter uma higiene periódica dos animais domésticos.
  • Se o piso da casa for de tacos ou tábuas, todos os vãos existentes devem ser calafetados, uma vez que podem sevir de abrigo para pulgas no ambiente.
  • Lave periodicamente os tapetes e capachos para evitar novas infestações.
  • As casas devem ser limpas pelo menos uma vez por seamna com o auxílio de um aspirador de pó. Desta maneira evita-se o acúmulo de poeira nos tapetes, tacos e outros locais.

 

           Importante

         Como medidas para eliminar as pulgas descarte ou queime o filtro do aspirador após a limpeza, pois as larvas das pulgas podem eclodir dos ovos coletados por ele ou pulgas adultas podem emergir de suas pupas e reinfestar o ambiente.

  • Pode a grama e faça limpeza periódica de quintais e jardins para evitar ambientes úmidos e adequados ao desenvolvimento das larvas.
  • Evite armazenar areia ao redor da residência por períodos longos.
  • Use calçados para impedir a penetração de pulgas bicho-do-pé.
  • Faça o controle de roedores no terreno da residência, pois estes são hospedeiros de pulgas que transmitem doenças.
  • Faça o controle de gatos ou cães nas regiões vizinhas à sua residência, pois esses animais transferem grande quantidade de pulgas.

 

          Controle

          O controle de pulgas é mais eficiente quando são tomadas as medidas simultâneas que envolvem limpeza periódica, tratamento do animal de estimção aplicação de veneno (dedetização) no domicilio e ao seu redor (quintais, canis, abrigos de animais, etc.).

            O controle pode ser mecânico, quando feito manualmente, ou químico, através de dedetizações com a utilização de venenos.

            Os métodos mecânicos de controle são: catação manual das pulgas nos hospedeiros (cães e gatos ), pela inspeção da pelagem do animal; banho periódico dos animais, megulhando-os por alguns minutos em recipiente cheio de água; escovação periódica da pelagem do animal; aspiração periódica do ambiente; lavagem dos pisos internos; lavagem da cama do animal; varredura e lavagem freqüentes do quintal e do canil.

          A aspiração do ambiente com aspirador de pó é extremamente eficiente, devendo ser realizada dia sim, dia não. Deve-se tomar o cuidado de jogar fora o saco de papel que retém o pó, queimando-o ou depositando-o em um saco plástico bem fechado antes de ir para a lata do lixo. Para os modelos de aspirador que não possuem sacos descartáveis, pode-se polvilhar inseticida dentro deste. Tomando estas medidas, ovos, larvas e adultos são retirados do ambiente, impossibilitando uma nova geração de pulgas. A aspiração periódica retira também o alimento das larvas, ou seja, o sangue digerido que pulgas adultas deixam no ambientes e outras matérias orgânicas. È importante que a aspiração seja feita  em dias alternados, pois os adultos saem dos casulos quando ocorrem alguns estímulos. Estes estímulos incluem a vibração que o aspirador produz. Caso o aparelho seja passado uma vez por semana, sua vibração irá estimular a emergência dos adultos e uma nova população de pulgas ocorrerá de uma semana para a outra. Passando-se o aspirador dia sim , dia não, removem-se pupas e ovos recém-depositados.

 

Algumas sugestões de manutenção e limpeza são muito importantes no controle.

  • Examinar a presença de pulgas ou fezes destas nos animais de estimação, buscando orientação para tratamento adequado junto ao medico veterinário.
  • Fazer esse tratamento para que o seu animal não traga mais pulgas ao ambiente;
  • A inspeção é o primeiro passo para avaliar o grau , tipo e local de infestação;
  • Após a inspeção, deve ser aplicado produtos químicos através de dedetização.

 

             Deve-se lembrar que o ciclo de vida da pulga é muito resistente, isto é, a pupa da pulga pode agüentar vários dias dentro do casulo sem se alimentar. Antes de se utilizar venenos para acabar com as pulgas, alguns cuidados devem ser tomados como retirar do ambiente pessoas e animais domésticos (pássaros, cães, gatos, peixes, etc). Tanto na hora da dedetização como da limpeza atenção especial deve ser dada, às escadas ou degraus, pois os ovos de pulgas, alojam-se nas frestas destas, principalmente se forem de madeira. Lugares como atrás das portas, debaixo de camas, outros móveis e dentro da casinha do animal devem ter atenção especial.
           Para realização de um desinsetização consultar uma empresa dedetizadora e um veterinário para receitar venenos e remédios que podem ser utilizados no animal.

HOME | Serviços | LOJA ENCOP | ORÇAMENTO | Empresa
Site Map